Terapia como um programa de benefícios para seus funcionários
Avalie este artigo
11 de fevereiro de 2020 | 8 min de leitura
Bem-estar

Terapia como um programa de benefícios para seus funcionários

Novas ideias podem gerar certo estranhamento no início. As pessoas têm uma tendência a se apegarem ao comum, ou seja, àquilo que já faz parte de suas rotinas. E quando o assunto é mundo corporativo, já parou para pensar que o programa de benefícios para funcionários também segue essa lógica? Pode ser difícil enxergar novas possibilidades e oferecer algo que vai além do óbvio.

Se pararmos para pensar em como a sociedade evolui e as transformações vão ocorrendo, nos daremos conta de que não há como se manter sempre no mesmo lugar. É preciso ser capaz de identificar novos horizontes e isso se aplica também ao universo de programa de benefícios corporativo.

Vamos pensar, por exemplo, na evolução das leis trabalhistas no Brasil. Se fizermos uma viagem para o passado, nos lembraremos de que nos tempos antigos, na Grécia e em Roma, o trabalho era sinônimo de escravidão – era destinado a quem não tinha habilidades técnicas para exercer outras funções, como as artísticas ou políticas, por exemplo.

Já nos tempos modernos, com as revoluções industriais, essa concepção sofreu uma transformação que mudou a forma como encaramos o trabalho. Aos poucos nasceram as figuras do patrão e do empregado.

Os trabalhadores, no entanto, não tinham direitos como têm hoje e eram expostos a diversos perigos durante o dia a dia de trabalho. Foram muitos anos para que as coisas começassem a mudar para melhor.

No Brasil, o governo Vargas com a Constituição de 1934, trouxe para a discussão os direitos trabalhistas, como salário mínimo, jornada de trabalho de 8 horas, repouso semanal, férias remuneradas e assistência médica e sanitária. Em 1943, no dia 1° de maio, foi promulgada a Consolidação das Leis do Trabalho, a famosa CLT.

Bom, e mudanças continuam ocorrendo no regime CLT até hoje. Como você pode perceber, foram anos de muita luta para chegarmos ao ano de 2020.

Mas, afinal, o que eu quero dizer com tudo isso? Toda essa história é para te lembrar de como nos tempos antigos, em Roma e na Grécia, ninguém pensava em regime CLT e coisas desse tipo. Os povos daquela época ficariam até assustados com tal evolução.

O fato é que, a cada ano que passa, as pessoas percebem que existem necessidades que ainda não foram atendidas pelo regime trabalhista. E estou aqui para falar sobre uma delas: saúde mental!

Benefícios para funcionários:  já pensou em oferecer terapia dentro da sua empresa?

Para alguns ainda pode parecer esquisito falar sobre a terapia como um dos benefícios para funcionários, mas vamos nos lembrar de que falar de CLT para os antigos Romanos também era algo inusitado.

Em pleno século XXI, em que distúrbios mentais preocupantes como síndrome de burnout, depressão e excesso de ansiedade estão sendo discutidos o tempo todo, como ignorar o fato de que as empresas ainda não dão a devida atenção à saúde mental dos trabalhadores?

Anos atrás, poucos estavam tão atentos a essa ponto. Quase ninguém se importava com o fato de que falta de cuidados com a saúde mental pode afetar drasticamente a produtividade de um funcionário e, consequentemente, o desempenho de uma empresa como um todo.

Os tempos mudaram (mais uma vez) e a Vittude é uma das porta-vozes dessa causa. Esse artigo tem como objetivo te ajudar a entender por que a sua empresa deveria apostar na terapia como um de benefício para os seus colaboradores.

Vantagens de oferecer terapia como um benefício para seus funcionários

Dentro desse universo de diferentes possibilidades de benefícios para funcionários, vamos explorar com calma e detalhes algumas das principais vantagens de se oferecer a terapia para os seus colaboradores!

1. Diminui as chances de afastamento do ambiente de trabalho

Nem todo mundo tem consciência de que doenças mentais são coisas sérias. Infelizmente, ainda existe muita desinformação e diversos tabus atrapalham o processo de conscientização sobre o tema.

As pessoas não costumam fazer uma associação direta entre doenças como depressão e o afastamento do ambiente de trabalho. No entanto, há anos a Organização Mundial da Saúde (OMS) está sinalizando que a depressão se tornaria a maior causa de afastamento do trabalho no mundo todo – e os dados apontavam que isso aconteceria até 2020.

Opa! Chegamos em 2020 mais rápido do que imaginávamos, não é mesmo?

Para se ter uma ideia da gravidade do problema, apenas em 2016, mais de 75 mil pessoas foram afastadas do trabalho devido aos problemas com depressão.

Infelizmente, doenças como essa ainda são muito subdiagnosticadas devido ao preconceito que existe na sociedade, portanto, muita gente sofre com distúrbios mentais e nem tem consciência disso. Quando descobrem, a doença já atingiu um nível em que o trabalhador precisa ser afastado de suas atividades.

Para completar, quem sabe que está passando por questões como essa, nem sempre tem dinheiro para pagar as sessões de terapia, afinal, o valor não é baixo e as diferenças sociais em nosso país são bem altas. Boa parte da população não consegue investir de R$500,00 a R$1000,00 por mês em terapia.

Com isso tudo quero dizer que não se pode mais ignorar a necessidade que existe em relação aos cuidados mentais. As empresas não devem se ausentar porque, no fim do dia, se um funcionário é afastado do trabalho, quem paga a conta é a empresa também.

Ao diminuir os números de afastamento, consequentemente a produtividade dos colaboradores se mantém e ninguém é sobrecarregado. Quando um profissional tira licença, outros ficam com mais tarefas até que seja possível encontrar um substituto temporário (isso quando a organização tem condições de colocar um substituto, pois muitas vezes não é possível).

2. Ajuda no desenvolvimento de habilidades essenciais

Chegamos ao segundo ponto, que é muito importante também para desmistificar algumas ideias equivocadas sobre esse assunto.

Muita gente não tem noção da importância dos cuidados com saúde mental, certo? Há também outra parcela de pessoas que, por mais que reconheçam a relevância desse tema, não entendem que cuidar da saúde mental vai além de prevenir e tratar distúrbios mentais.

Você não leu errado! É isso mesmo. A terapia não existe apenas para quem tem doenças mentais não. Sabe aquele seu amigo de infância que sempre fez terapia, mas nunca foi diagnosticado com nenhum problema mental? Bom, ele é um ótimo exemplo de como essa ferramenta pode ser utilizada para outros fins.

Se ainda não está muito claro, pode deixar que vou te ajudar a entender.

A terapia é muito valiosa em diferentes aspectos da nossa vida. Tem gente que busca a ajuda de um psicólogo para lidar com a morte de um ente querido, se adaptar a uma mudança, superar um relacionamento, entre outras razões.

No mundo corporativo, a terapia como um dos benefícios para funcionários pode ser utilizada para o desenvolvimento de habilidades essenciais para o dia a dia de trabalho. Isso quer dizer que, junto de um profissional especializado, é possível trabalhar questões emocionais que ainda atrapalham os indivíduos profissionalmente.

Um funcionário que está assumindo o seu primeiro cargo de liderança, por exemplo, e tem dificuldade de se comunicar e criar laços com as pessoas pode e deve busca auxílio na terapia para desenvolver habilidades interpessoais.

Ao mesmo tempo, um estagiário que é muito inseguro e tem dificuldades para receber feedbacks de seu chefe também pode se beneficiar da terapia.

Esses são apenas alguns dos exemplos, mas o importante é ter clareza de que seja um diretor executivo ou um analista júnior, há sempre algo que os profissionais da sua empresa precisam desenvolver para evoluírem e estarem mais preparados para os desafios de trabalho.

3. Aumenta os níveis de inteligência emocional

A inteligência emocional é uma das habilidades mais requisitadas no ambiente de trabalho atual.

Já foi o tempo em que apenas competências técnicas eram o suficiente para crescer e se destacar no mundo corporativo. Hoje, o jogo mudou!

Isso significa que as empresas buscam por profissionais que consigam lidar com adversidades, saibam reconhecer e controlar suas emoções (principalmente em momentos difíceis), que tenham um bom nível de empatia e consigam criar relacionamentos duradouros e de confiança.

Tudo isso é inteligência emocional, sabia? Esse conceito gira em torno da capacidade de reconhecer e lidar com as suas emoções. E por quantas emoções passamos em apenas um dia de trabalho?

Aquela reunião que deu errado, o feedback indigesto, os conflitos entre times. Esses são apenas alguns dos exemplos que exigem níveis de inteligência emocional elevada.

Bom, e o que a empresa ganhar com funcionários mais inteligentes emocionalmente? Simples! Esses são funcionários mais preparados para lidar com os desafios do dia a dia e bater as metas da empresa.

 A terapia, por sua vez, é uma forma de ajudar os colaboradores a desenvolverem a inteligência emocional e se tornarem profissionais mais completos. Ao longo das sessões de terapia junto de um psicólogo, o paciente vivencia um profundo processo de autoconhecimento e, aos poucos, irá elevar a sua inteligência emocional.

4. Fortalece a imagem da empresa no mercado

Vamos falar sobre employer branding? Implementar a terapia como um programa de benefícios dentro da sua empresa também é benéfico para trabalhar a imagem da organização.

Imagine só como as pessoas (e potenciais funcionários) enxergariam uma empresa que se preocupa com questões de saúde mental dos seus funcionários?

Em um ambiente super competitivo, é importante encontrar formas de se diferenciar dos seus concorrentes e fortalecer a imagem da sua empresa.

Anos atrás, ninguém oferecia vale-refeição e vale-transporte aos seus colaboradores. Hoje, isso nada mais é do que o padrão – se você não oferece nem isso, está comendo poeira.

A maneira de se diferenciar e criar um ambiente mais produtivo é oferecendo benefícios para seus funcionários que vão além do óbvio e caminham de encontro com as necessidades atuais. Saúde mental é uma dessas necessidades.

Empresas que enxergam além da bolha e são capazes de promover verdadeiras mudanças internas são aquelas que sairão na frente nessa corrida. Não há como negar que oferecer terapia é sim uma forma de fortalecer a imagem da sua marca, atrair e reter muito mais talentos para a sua empresa.

5. Aumenta a produtividade

Estudos já comprovam que a felicidade está diretamente relacionada aos níveis de produtividade de um funcionário.

Um levantamento da Universidade de Warwick, no Reino Unido, apontou que colaboradores felizes são 12% mais produtivos.

Outra pesquisa, dessa vez da Universidade da Califórnia, revelou que um trabalhador feliz é, em média, 31% mais produtivo, 3x mais criativo e vende 37% mais. Por outro lado, caso haja insatisfações no ambiente de trabalho, o desempenho pode ser prejudicado.

Existem várias maneiras de tornar o ambiente de trabalho mais satisfatório, mas uma maneira de ajudar os próprios funcionários a trabalharem suas questões pessoais é oferecendo terapia como um benefício.

Além de demonstrar preocupação genuína com a felicidade dos colaboradores, a empresa também está investindo na produtividade dos trabalhadores. Afinal, quanto mais felizes, mais produtivos.

O investimento retorna em resultados

Se ainda ficou alguma dúvida sobre como o investimento em saúde mental é relevante para os negócios da sua empresa e, é claro, para a economia global, confira alguns dados importantes revelados por estudos da OMS.

A cada US$1 investido na ampliação do tratamento para transtornos mentais comuns, como ansiedade e depressão, há um retorno de US$4 em melhores condições de saúde e capacidade de trabalho.

Como pouco ainda é feito em relação ao assunto, infelizmente, foi revelado que os baixos níveis de reconhecimento e acesso a cuidados com a saúde mental resultam em um prejuízo econômico global de 1 trilhão de dólares por ano.

Só no Brasil, em que 5,7% da população sofre com algum transtorno depressivo, segundo pesquisa da London School of Economics o prejuízo chega a US$63,3 bilhões, ou seja, R$210 bilhões.

Como investir em saúde mental no programa de benefícios dentro da sua empresa?

Depois de tantas histórias e argumentos para te convencer de que a terapia é um dos benefícios para funcionários que é essencial para a o crescimento da sua empresa, chega a hora de te apresentar aquilo que irá te ajudar a trilhar esse novo caminho em direção ao investimento em saúde mental!

Conheça o Vittude Corporate, um benefício corporativo que ajuda empresas a cuidarem da saúde mental dos seus colaboradores! Por meio de um investimento fixo mensal, por colaborador, sua empresa oferece ao time um subsídio parcial ou integral para sessões de psicoterapia, com psicólogos Vittude. 

Conheça algumas das empresas que já investem em saúde mental com o Vittude Corporate: Campari, Resultados Digitais, eduk, 99, imovelweb, ismart, entre muitas outras! Entre em contato e saiba mais clicando aqui!

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!

Leia também:

Como promover o bem-estar no ambiente de trabalho

Equilíbrio emocional como promotor de mudanças na sua empresa

Por Bruna Cosenza

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!
Avalie Este artigo
absenteísmo benefícios habilidades inteligência emocional produtividade terapia turnover

Leia também

Receba novidades da Vittude